Seis presos preventivos em operação da PSP contra o tráfico de droga em Mirandela

Após um ano e meio de um “profundo e meticulosoprocesso de investigação levado a cabo pelo dispositivo de investigação criminal de Bragança e Mirandela, a Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve oito pessoas que, alegadamente, se dedicavam ao tráfico de droga em vários concelhos do distrito de Bragança.

Da operação que teve lugar esta quarta-feira, dia 17 de março, pelas 7h05, na cidade do Tua, resultaram oito detenções, na sequência do cumprimento de oito mandados de detenção fora de flagrante delito. Com idades compreendidas entre os 24 e os 56 anos de idade, todos os suspeitos são de nacionalidade portuguesa e pertencem à mesma família, “de ascendência romani”.

No primeiro interrogatório judicial, foi decidida a prisão preventiva para quatro homens e duas mulheres, tendo um outro elemento sido proibido de se ausentar do território nacional e obrigado a permanecer na sua zona de residência, enquanto ao último coube a medida mais leve, Termo de Identidade e Residência.

Do cumprimento dos cinco mandados de busca domiciliária e cinco não domiciliária, a PSP apreendeu 11,40 gramas de heroína, 2 gramas de Cocaína, 17,20 gramas de canábis, 0,57 gramas de haxixe, diverso material para embalamento e doseamento da droga, 29 telemóveis, vários cartões SIM de rede móvel, dois computadores portáteis, um tablet, um televisor, seis viaturas ligeiras, um motociclo, uma arma de ar comprimido de calibre 4,5mm e quatro munições de calibre 6,35 mm.

psp

De acordo com a PSP, trata-se de uma “estrutura criminal” que poderá ser considerada como “uma das mais organizadas de distribuição direta aos consumidores de heroína e cocaína no distrito com enfoque em Mirandela, Bragança, Alfândega da Fé, Vila Flor e Macedo de Cavaleiros”.

A maior parte dos suspeitos, de ambos os sexos, “já com experiência nesta área criminal e com registo criminal vasto”, são, também, “responsáveis por conseguir movimentar armas, bem como exercem o monopólio, por ameaças e extorsões consecutivas e permanentes para que a sua ação fosse dominante e prevalente”, garante fonte do Comando de Bragança.

De salientar, ainda, que no terreno estiveram mais de cem operacionais das várias valências da PSP com “forte empenho da Unidade Especial de Polícia”, através do corpo de intervenção, grupo operacional cinotécnico e centro de inativação de engenhos explosivos responsáveis pela busca de armas.

ps

 

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.