Prova de vinhos DOP reúne produtores transmontanos e potenciais clientes em Bragança

Teve lugar nos idílicos jardins do Museu Abade de Baçal, em Bragança, uma “Prova de Vinhos DOP Trás-os-Montes”.

O encontro que pretende promover os vinhos transmontanos de Denominação de Origem Protegida (DOP) e, assim, “reforçar a identidade regional”, reuniu 19 produtores com empresários locais do ramo da restauração, hotelaria e estabelecimentos de venda de produtos regionais.

No seguimento do Projeto Turistando por Bragança, lançámos a iniciativa à Comissão Vitivinícola de Trás-os-Montes que nos permitiu realizar esta prova de vinhos com 19 produtores”, começa por explicar a secretária-geral da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Bragança (ACISB). Segundo Anabela Anjos, trata-se de “fomentar, cada vez mais, nas cartas de vinhos dos restaurantes os vinhos transmontanos e a venda dos vinhos nas nossas lojas”, “no sentido de ganharmos todos e assim valorizarmos aquilo que é nosso, valorizarmos o nosso território e a nossa identidade, algo que é importante para todos”. E a responsável questiona: “uma pessoa vai a qualquer restaurante e tem uma carta com vinhos do Douro e porque não os nossos restaurantes não terem uma carta com vinhos de Trás-os-Montes?”

Já a presidente da direção da ACISB fala “em inovação, em prol dos associados, em prol de lhes dar uma diversidade maior de produtos para eles apresentarem aos seus clientes”. Quanto à pandemia provocada pela Covid-19, Maria João Rodrigues fala em “otimismo contido” por parte dos comerciantes e associados da ACISB em todos os ramos de atividade. “Este já é o segundo ano de pandemia, mas o último inverno foi brutal para as nossas empresas e, apesar de algumas terem fechado, abriram muitas mais porque os nossos comerciantes e empresários tentaram moldar-se ou ajustar-se às novas realidades”, revela a entrevistada que destaca o poder de encaixe e resiliência do empresário transmontano durante o período mais negro da pandemia que assolou o país e o mundo.

MAB

A Kapital do NordestE conversou, ainda, com o presidente da Câmara Municipal de Bragança, um dos muitos convidados da "Prova de Vinhos DOP Trás-os-Montes". “Tudo o que possam ser eventos que promovam os produtos locais e, neste caso, produtos de Trás-os-Montes, que é uma marca maior e muito valiosa, faz todo o sentido”, assevera Hernâni Dias que considera esta iniciativa “mais que interessante, relevante”, numa altura em que é já possível avistar "uma luz ao fundo do túnel" no que diz respeito à economia, sublinhando que esta é “uma ideia que pode ser explorada no futuro, não valorizando somente um produto, mas vários em simultâneo”. De acordo com o autarca local, “isso é importante que se faça, não só em Bragança, mas também noutros concelhos, de forma a que haja mais gente que possa conhecer os produtos”. Hernâni Dias lamenta o facto de, “apesar de termos produtos de excelente qualidade, pena é que não os consigamos promover, nem tão pouco colocar no mercado de forma a que haja um retorno financeiro substancial”.

Após a prova de vinhos, seguiu-se um jantar entre os convidados, ainda nos jardins do Museu Abade de Baçal, onde produtores e empresários tiveram a oportunidade de trocar ideias e contactos, bem como de estreitar os laços que se criaram para que que possam servir, no futuro, à concretização de grandes negócios. Pelo menos é essa a expetativa e o intuito desta organização conjunta entre ACISB e Comissão Vitivinícola de Trás-os-Montes. “Que seja a primeira iniciativa de muitas”, testemunharam alguns dos presentes à Kapital.

ac

 

TESTEMUNHOS

VOZ1

Fernando Ramos, Quinta do Sobreiró de Cima

 

“Todas as iniciativas como esta são excelentes! Nós temos cada vez mais que divulgar Trás-os-Montes, que é uma região que está a crescer bastante e todas as iniciativas são poucas para dignificarmos a nossa região.

Eventos como este são extremamente necessários, ainda por cima com a pandemia. Temos de ter o máximo de iniciativas possíveis para divulgarmos Trás-os-Montes e quantas mais melhor.

Se fosse feito um evento por mês, enquanto representante da Quinta do Sobreiral de Cima, eu participaria em todos, sem faltar a nenhum.”

 

VOZ2

Rui Lino, Encostas de Vassal

 

“É um evento com coragem, com dignidade e fazem falta muitos mais, não só nesta cidade como, também, em outras cidades de Trás-os-Montes. Toda a parte comercial saiu afetada com a pandemia, mas vamos esperar que tenhamos algum retorno, agora que isto começa a melhorar.

Iniciativas como esta dão impulso e criam mais motivação ainda.”

 

GALERIA FOTOGRÁFICA (BMF):

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.