PUB.

Volta a Portugal de Moncorvo a Bragança com Veloso de amarelo

O pelotão da Volta a Portugal em bicicleta regressou hoje à estrada, após o dia de descanso, e cumpre a sexta etapa, entre Torre de Moncorvo a Bragança, com o espanhol Gustavo Veloso na liderança.

O Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves, e o Diretor da Volta, Joaquim Gomes, participaram na cerimónia protocolar de partida, com o corte da fita. Presente esteve também o Vice-presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Victor Moreira.

Os ciclistas arrancaram em direção à Via Panorâmica, seguindo pelo IP2, acesso ao IP2, dirigindo-se novamente a Torre de Moncorvo e prosseguindo para Freixo de Espada à Cinta, passando ainda nas freguesias de Açoreira e Maçores, no concelho de Torre de Moncorvo.

Depois de os corredores terem recuperado forças na Guarda, cidade onde terminou a quinta etapa, a camisola amarela do líder da W52-FC Porto não deverá ser ameaçada nesta ligação longa, de 189,2 quilómetros, que será a segunda e última oportunidade para os 'sprinters' brilharem.

Com as habituais três metas volantes, o percurso apresenta outras tantas contagens de montanha, todas de terceira categoria e concentradas nos primeiros 60 quilómetros da prova, a primeira ainda em Torre de Moncorvo, aos 4,9 quilómetros.

À entrada para os 40 quilómetros, há nova pontuável, em Freixo de Espada à Cinta, antes da passagem por Porrinhela, aos 53,7 quilómetros.

Numa 81.ª edição em que são raras as ocasiões para os ‘sprinters’ disputarem vitórias, a chegada a Bragança, apesar da ligeira inclinação final, poderá oferecer uma nova chance aos homens mais rápidos, embora uma fuga também possa vingar.

 

Volta

 

Gustavo Veloso lidera a prova com 15 segundos de vantagem para o colega de equipa João Rodrigues, segundo, enquanto o espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) é terceiro, a 22.

Num lote de apenas quatro corredores com menos de um minuto de diferença para a camisola amarela, dois são da Efapel, com Jóni Brandão em quarto, a 25 segundos, e Henrique Casimiro em quinto, a 45.

A segunda metade da prova arranca hoje e trará mais três chegadas em alto, com destaque para a subida à Serra do Larouco, no final da sétima etapa, a ‘mítica’ Senhora da Graça, a fechar a nona, e o contrarrelógio decisivo, entre Vila Nova de Gaia e Porto, no domingo.

De salientar, ainda, que Torre de Moncorvo marcou presença na primeira edição da volta a Portugal e não recebia uma partida desta competição desde 1931, quando se correu a segunda edição.

Nuno Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo referiu que “é importante para o concelho que passados 88 anos se possa realizar esta partida em mais uma etapa da Volta a Portugal, aquela que considero ser a prova desportiva mais democrática que conheço, porque envolve todo o país. Tem uma responsabilidade acrescida de dar a conhecer o interior de Portugal e o nosso território enquanto património edificado, natural e gastronómico”.

 

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.