Vinhais com 17 milhões de euros para 2020 quer priorizar apoios sociais, educação e produtores

A Câmara de Vinhais tem para 2020 um orçamento de 17 milhões de euros com prioridade aos apoios sociais, educação e aos principais produtos do concelho, revelou o presidente Luís Fernandes.

No próximo ano, o município vai também redistribuir pelos contribuintes cerca de 120 mil euros de parte dos 5 por cento (%) a que tem direito no IRS (Imposto sobre o Rendimento Singular) pago no concelho, passando a abdicar de 3,5%, enquanto, em 2018, o valor era de 2%.

Vinhais continuará a cobrar a taxa mínima de IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) fixada em 0,3% e que pode ir até aos 0,5%. Nos investimentos previstos para 2020, o presidente destaca as adiadas obras de requalificação da escola no valor de três milhões de euros.

Depois de abertos concursos que ficaram desertos, o município já conseguiu adjudicar a obra e aguarda apenas o visto do Tribunal de Contas para iniciar os trabalhos, como disse à Lusa o autarca Luís Fernandes.

Outras obras com apoio de fundos comunitários, nomeadamente de regeneração urbana, estão também previstas neste orçamento em que os apoios sociais e à economia continuam a ser apontados como prioridade.

A área da educação tem um montante anual de um milhão de euros neste concelho transmontano, onde os alunos frequentam a escola e outras atividades de forma praticamente gratuita, com a autarquia a suportar custos como transporte, refeições e fichas de atividades.

Os apoios sociais, como rendas a baixo custo, fazem parte também do investimento previsto pela autarquia, assim como o desporto e apoio ao setor agrícola e agropecuário.

O presidente Luís Fernandes referiu as parcerias e ajudas financeiras aos produtos mais importantes do concelho como são o fumeiro e a castanha.

O autarca realçou ainda a “situação estável” do ponto de vista financeiro da câmara com uma dívida a médio e longo prazo de cerca de dois milhões de euros.

O orçamento tem um ligeiro aumento de 400 mil euros em relação a 2018, já foi aprovado em reunião de Câmara e vai ser levado à votação da Assembleia Municipal a 30 de dezembro, onde tem a aprovação garantida pela maioria socialista.

 

FOTOGRAFIA: BMF

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.
The website encountered an unexpected error. Please try again later.