PUB.

Padre da Diocese de Bragança-Miranda investigado por alegados abusos sexuais a menor

José Belmiro Lino Rodrigues foi dispensado do ofício de pároco pela Diocese de Bragança-Miranda por, alegadamente, ter abusado sexualmente de um jovem seminarista que, na altura, tinha 17 anos. A suposta vítima terá acusado o presbítero pelos crimes cometido em contexto paroquial, tendo este sido detido para interrogatório com mais dois indivíduos a 27 de julho, ao que a Kapital do Nordeste (KNE) conseguiu apurar junto de populares da aldeia de Samões, concelho de Vila Flor.

Atualmente, com 50 anos, o suspeito foi ordenado em 1994, lidando com muitas crianças e jovens, já que efetuava serviço pastoral, juntamente com o padre Delfim Gomes, nas paróquias de Assares, Benlhevai, Candoso, Carvalho de Egas, Freixiel, Junqueira, Lodões, Mourão, Nabo, Roios, Samões, Sampaio, Santa Comba da Vilariça, Seixo de Manhoses, Trindade, Vale Frechoso, Valtorno, Vila Flor, Vilarinho das Azenhas e Vilas Boas.

Após ter tido conhecimento desta queixa, a Diocese de Bragança-Miranda foi célere na sua atuação, condenando atos semelhantes, independentemente de quem os cometa. Tanto assim que, na noite de quinta-feira, a 1 de agosto, às 23h57, a Diocese publicou no seu site um comunicado (https://diocesebm.pt/noticia/comunicado1ago) onde dava conta que “há algum tempo, a Diocese recebeu uma queixa, escrita pela eventual vítima, maior de idade, sobre a possível prática de um abuso sexual por parte de um sacerdote da Diocese, numa altura em que a alegada vítima era ainda menor”.

No mesmo esclarecimento, a Diocese garante que tomou as devidas medidas. “Imediatamente se deu início aos procedimentos previstos pela Conferência Episcopal Portuguesa e pela Santa Sé. A eventual vítima foi ouvida, e recolheram-se as informações pertinentes, e tudo foi enviado para a Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma. A Diocese está em contacto com a eventual vítima e mantém um acompanhamento próximo neste momento tão difícil”, pode ler-se na nota informativa, que salienta “o desejo" do jovem em não ser identificado.

A KNE, em conversa com habitantes de Vila Flor, soube que a alegada vítima terá 18 anos e será natural da sede concelhia, estando, neste momento, a investigação sob a alçada da Polícia Judiciária que procede com as respetivas diligências.

A Diocese de Bragança-Miranda afirma, ainda, que é “com preocupação que damos esta informação, e a simples possibilidade de poder ter ocorrido um abuso deixa-nos apreensivos, por serem tão devastadores os seus efeitos, e por ser uma conduta tão contrária ao serviço do Evangelho”, garantindo “o propósito firme de estar ao lado do Papa Francisco na luta decidida para afastar este mal”.

Apesar de nada estar ainda confirmado e tratarem-se, nesta fase inicial, somente de alegações, a verdade é que a simples suspeita acaba sempre por manchar a imagem da Igreja que, nos últimos anos, tem-se debatido com o flagelo da pedofilia no seu seio., abalando os próprios alicerces da Santa Sé.

Apesar de tudo, a Diocese encorajaquem tiver informações sobre este tipo de situações se dirija ao presidente da Comissão Diocesana para a Proteção de Menores e de Pessoas Vulneráveis, o pároco José Manuel Bento Soares. através dos seguintes contactos:

Tlf. 273 329 182

Email: cdpmpv.diocesebm@gmail.com

Morada: Cúria Diocesana, Rua Dr. Herculano da Conceição, 10, 5300-032 Bragança.

 

FOTOGRAFIA: Rita Oliveira (Colaboradora KNE / Vila Flor)

 

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.