Covid-19: Regresso ao ativo de 18 polícias pré-aposentados no distrito de Bragança para ações de fiscalização

No âmbito da reintegração dos polícias na situação de pré-aposentadoria com o objetivo de colaborarem com as Equipas de Fiscalização Covid-19 no terreno, o Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) marcou presença na sede do Comando de Bragança ao final da manhã de quinta-feira, dia 11 de fevereiro.

Antes da reunião com os agentes que já regressaram ao ativo, Magina da Silva anunciou que, a nível nacional, foram mais de 60 os voluntários que se prontificaram no auxílio à fiscalização das regras e restrições impostas pela pandemia.

Só no distrito que acolheu a figura de proa da PSP, são 18 os agentes que responderam positivamente ao repto da direção nacional.

Já “prevendo uma crise de longa duração” e reconhecendo que o nível de infeção, dentro do efetivo da própria PSP, “chegou a picos bastante elevados”, “em março, mandei todos os Comandos da Polícia de Segurança Pública emitirem pré-avisos aos polícias que estão na pré-aposentação no sentido de poderem ser precisos”, começou por referir o responsável, à conversa com a Comunicação Social, explicando que quando “os polícias quando passam à situação de pré-aposentação assinam uma declaração em que demonstram a sua disponibilidade para, em caso de necessidade, voltarem à efetividade de serviço e foi o que fizemos, novamente, contactámos todos os polícias, fizemos o mesmo pré-aviso de março e, agora, demos mais um passo neste processo convidando os polícias que tivessem essa disponibilidade a chegarem-se à frente e foi o que fizeram estes 18 polícias”.

Questionado sobre se esse número será suficiente, o Superintendente-chefe respondeu que “este foi o primeiro passo numa base de voluntariedade, o passo seguinte seria com vontade ou sem ela, serem convocados para regressarem ao serviço ativo. Felizmente, os níveis de infeção na Polícia de Segurança Pública estão a baixar sustentadamente, acompanhando a tendência nacional, aliado ao processo de vacinação que irá iniciar, não projeto como necessário proceder à mobilização de mais pessoal na situação de pré-aposentação”.

psp

Sobre o facto de Bragança ser dos distritos onde houve uma maior adesão, Magina da Silva disse querer “acreditar que se deve à generosidade das gentes de Bragança”

 

No que concerne à remuneração dos mais de 60 profissionais, agora, reintegrados, Magina da Silva confirma que “têm os mesmos direitos e deveres dos polícias que estão na situação de serviço ativo”, informando, também, que “o pressuposto de regresso à efetividade e ao serviço operacional foi, exclusivamente, para trabalho operacional de rua”.

O diretor nacional da PSP aproveitou, ainda, para enaltecer o trabalho dos profissionais de polícia, asseverando que “têm noção perfeita da criticidade do momento em que vivem, da importância do seu esforço e não estão a regatear esforços nesse sentido”, garantindo que os polícias estão “perfeitamente motivados e conscientes do que têm de fazer”.

 

INICIATIVA “POLÍCIA POR UM DIA”

 

No final, Magina da Silva teceu rasgados elogios ao Comando Distrital de Bragança, na pessoa do seu comandante, José Neto, pela “excelente iniciativa” apelidada de “Polícia por um dia”, prometendo “generalizá-la a nível nacional”, apesar de reconhecer que, “eventualmente, nos grandes centros urbanos, será mais difícil”, dependendo sempre “da adesão das diversas entidades que forem convidadas”.

Recorde-se que esta iniciativa tem permitido a várias personalidades e cidadãos do distrito de Bragança vestirem a pele de um agente da autoridade por um dia, encetando diversas atividades e ações que fazem parte do quotidiano dos agentes do Comando de Polícia de Segurança Pública de Bragança.

A iniciativa arrancou a 10 de setembro com o autarca brigantino Hernâni Dias a ser o primeiro convidado de uma série de individualidades trajadas a preceito a poderem experienciar diversos cenários policiais muito semelhantes àqueles que os verdadeiros profissionais vivem diariamente.

Também a edil mirandelense, Júlia Rodrigues, e o Bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, entre outros convidados e representantes de instituições, puderam interpretar o papel de "Polícia por um dia", tendo-se estendido, depois, a iniciativa a cidadãos comuns.

HER

 

NA PRIMEIRA PESSOA

 

JUDITE CELAS (Esquadra de Trânsito), Pré-aposentada há três anos – “UM NOVO DESAFIO” 

 

Fui solicitada pelo Comando e achei que tinha o dever de regressar para ajudar no que for preciso. Existe sempre um receio (covid-19), mas estamos cá para o que der e vier. Vamos para a rua sensibilizar as pessoas, que não devem sair, para usarem máscara e evitarem os ajuntamentos.

 

EUGÉNIO PANTALEÃO (Chefe-Coordenador), Pré-aposentado há ano e meio - "SENTIDO DE MISSÃO É O QUE NOS MOTIVA"

 

Tendo em conta a situação problemática que todos nós estamos a atravessar, foi-nos solicitado pelo Comando a nossa ajuda e, também, aliada ao problema da pandemia aliada, também, a um défice de efetivo, que todos nós sabemos que existe na PSP.

E, neste contexto, foi-nos solicitada para reforçarmos o efetivo do Comando de Bragança. Perante esta situação que nos foi posta e o espírito e a ideia de necessidade, obviamente que tivemos de aderir, no sentido de ajudar e colaborar com o nosso saber e experiência.

Saber que Bragança foi o distrito onde houve maior adesão ao programa deixa-me muito satisfeito e orgulhoso. É curioso que eu sempre disse que Bragança se diferencia do resto do país por várias condicionantes, sendo que uma delas é a qualidade do pessoal. Deixem-me realçar, também, este pormenor."

PS

 

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.
The website encountered an unexpected error. Please try again later.