D. José Cordeiro

44. BISPO DA DIOCESE DE BRAGANÇA-MIRANDA

Nasceu em Seles, Angola, em 1967 e em 1975 veio para Parada, Alfândega da Fé. Estudou nos seminários diocesanos de Vinhais, Bragança e Porto.

Foi ordenado Presbítero na Igreja do Seminário de São José, Bragança, em 16/06/1991.

Licenciou-se em Teologia, pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa no Porto.

Entre os anos 1991 e 1998 teve um ativo ministério presbiteral na Diocese de Bragança-Miranda, exercendo diversos cargos e serviços pastorais.

No ano letivo de 1999/2000 foi indicado pelo então Bispo de Bragança-Miranda para obter uma especialização na área da Liturgia, em Roma, tendo concluído a Licenciatura em Liturgia a 16/01/2002 e o Doutoramento a 06/03/2004 no Pontifício Instituto Litúrgico do Pontifício Ateneu de Santo Anselmo.

Foi nomeado Vice-Reitor do Pontifício Colégio Português em Roma no ano de 2001/02 e em 2005/06 passou a Reitor do mesmo Colégio até ao ano de 2011.

De 2008 a 2011 foi comissário deputado na Comissão Especial para o tratamento das causas de dispensa das obrigações do Presbiterado, segundo as normas da Congregação para o Clero.

De 2010 a 2016 foi Consultor da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Durante o período que permaneceu em Roma (1990 a 2011) leccionou várias disciplinas, mormente relacionadas com a sua especialização em Liturgia, na Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade de S. Tomás de Aquino (Angelicum) e no Pontifício Instituto Litúrgico, em Roma.

De 2005 a 2011 foi também membro do Conselho de redação da Revista Seminarium da Congregação para a Educação Católica, Vaticano.

É autor de diversas obras, a saber:

Tem um grande número de artigos publicados em jornais e revistas de importante envergadura científica, doutrinal e informativa, tendo mantido com alguns deles uma colaboração mais ou menos regular.

Conta, igualmente, com alguns prefácios e recensões a obras de diversos autores.

Assinala-se a extensa lista de conferências, palestras e acções de formação em diversos pontos de Portugal e de outros países como Itália, França, Angola, Moçambique, Brasil e Timor Leste.

Tal atividade tem tido destinatários diversos que vão desde o público em geral até públicos muito específicos, leigos, presbíteros, religiosos e religiosas e bispos.

Orientou alguns retiros espirituais a presbíteros, religiosos e religiosas e bispos.

A 18/07/2011, foi eleito Bispo de Bragança-Miranda pelo Papa Bento XVI.

A sua Ordenação Episcopal e início do ministério pastoral ocorreu a 02/10/2011 na Catedral de Bragança, tendo escolhido como lema do seu episcopado “Ad docendum Christi mysteria”.

Em 15 de Maio de 2012 foi empossado como académico correspondente da Academia Internacional da Cultura Portuguesa. A sessão de investidura teve lugar na sede da instituição, em Lisboa, onde o prelado fez uma dissertação sobre o tema “Do Movimento Litúrgico à Reforma Litúrgica em Portugal”.

É Presidente da Comissão Episcopal da Liturgia e Espiritualidade desde 2014.

Membro da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos desde 2016, e Vogal do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), desde 26 de abril de 2017. Em 2018 foi nomeado, pela CEP, delegado de Portugal nos Congressos Eucarísticos internacionais.

FONTE: Diocese de Bragança-Miranda

MENSAGEM PARA O TEMPO LITÚRGICO DA QUARESMA-PÁSCOA

Quaresma-Páscoa no Ano da Igreja Una e Santa

Pascoa

Caros irmãos e irmãs

Pax!

  1. Firme na Fé

Repartir de Jesus Cristo nos caminhos da Missão neste tempo duro da pandemia e sermos firmes na fé, alegres na esperança e generosos na caridade é o desafio de hoje e de sempre. Por isso, «damos continuamente graças a Deus por todos vós, ao fazermos menção de vós em nossas orações. Recordamos a atividade da vossa fé, o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa esperança em Nosso Senhor Jesus Cristo, na presença de Deus nosso Pai» (1Tes 1, 2).

Juntos, acreditamos e somos a Igreja una e santa. A Igreja é uma realidade dinâmica. Eu pertenço à fé da Igreja. A fé da Igreja está primeiro, ou seja, o corpo está primeiro, existe antes de mim, não o crio eu. A convicção pessoal ou uma particular disciplina de vida não bastam para fazer de uma pessoa cristã. Uma existência cristã pressupõe o sentido de pertença e a participação na comunidade.

Deus já “entrou” em nós pelo Batismo. Já lhe dissemos «entre quem é». A grande alegria e motivo da maior felicidade é viver, porque «Deus é, isso basta» (E. Leclerc). Por isso, faz Missão! Sê Missão!

 

  1. Alegres na Esperança

Estamos todos interligados no horizonte da fraternidade universal e da amizade social, que o tempo de pandemia covid-19 ainda mais nos demanda nos processos da conversão e da missão. Sejamos construtores de uma pandemia de Esperança! Estaremos dispostos a mudar os estilos de vida pessoal e da pastoral eclesial?

Na consolidação dos processos com os adolescentes e os jovens, continuamos a peregrinação fecunda da busca de Deus na Lectio Divina e adoração eucarística. Assim, em cada sexta-feira da Quaresma, sob a coordenação do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil Vocacional: 19 de fevereiro  (Catedral) – «Jovem, Eu te digo, levanta-te»  (cf. Lc 7, 11-17), Buscar com Jesus Cristo em tempo de pandemia; 26 de fevereiro (UP Senhora do Amparo) - «um só Senhor, uma só fé, um só Batismo; um só Deus e Pai de todos» (Ef 4, 1-6), Unidade na diversidade; 5 de março (Concatedral) – «Como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela» (Ef 5, 25-33), É grande este mistério!; 12 de março (UP Senhora da Assunção) - «fiéis à doutrina dos Apóstolos, à participação na fração do pão e nas orações... louvando a Deus e sendo bem vistos pelo povo» (At 2, 41-47), a comunidade cristã; 19 de março (UP São José) - «ide, pois, ensinai todas as gentes» (Mt 28, 16-20), Igreja é missão; 26 de março (UP Senhora da Visitação) - «Pedi ao Senhor da messe, que mande operários para a sua messe» (Mt 9, 35-38), Missão é in-vocação.

 

  1. Generosos na Caridade

A Quaresma-Páscoa é o tempo favorável que nos sugere algum treinamento pessoal e em família de maturação e consciencialização renovar a fé, a esperança e a caridade: a esmola; o jejum; o silêncio; a oração; a penitência; a renúncia quaresmal; a lectio divina; a adoração eucarística; o rosário; a via-sacra...

A graça do Ano de São José conta com um momento deveras significativo durante a Quaresma, o dia 19 de março. Neste dia do pai e dos nossos seminários seja um especial reconhecimento e gratidão às pessoas comuns, que, como São José e tantos homens e mulheres neste tempo da pandemia, aparentemente escondidos ou em segundo plano, mas que têm um protagonismo sem paralelo na história da humanidade e fazem com que a vida aconteça em cada dia nos muitos serviços e bens essenciais. São José é nosso protetor e, ao mesmo tempo, modelo operativo. Como São José somos chamados a ser artesãos de Fé, de Esperança e de Caridade para continuar a enfrentar e a vencer as crises, com coragem criativa e confiança crente.

Que a Quaresma seja «um percurso de conversão, oração e partilha dos nossos bens, nos ajude a repassar, na nossa memória comunitária e pessoal, a fé que vem de Cristo vivo, a esperança animada pelo sopro do Espírito e o amor cuja fonte inexaurível é o coração misericordioso do Pai» (Papa Francisco).

Santa Maria, Mãe da Igreja e São José, intercedei por nós.

 

+ José, Bispo de Bragança-Miranda


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.